Skip to main content

Mudanças espaço temporal da disponibilidade de serviços ecossistêmicos em uma microbacia hidrográfica do nordeste brasileiro. Spatial and temporal changes of the ecosystem services availability in a microwatershed in Northeast Brazil.

Ferreira, L.M.R., Esteves, L.S., Souza, E.P., Santos, C.A.C. and Rego, V.G.S., 2019. Mudanças espaço temporal da disponibilidade de serviços ecossistêmicos em uma microbacia hidrográfica do nordeste brasileiro. Spatial and temporal changes of the ecosystem services availability in a microwatershed in Northeast Brazil. Desenvolvimento e Meio Ambiente, 52, 155 - 174.

Full text available as:

[img]
Preview
PDF (OPEN ACCESS ARTICLE)
57716-279512-1-PB.pdf - Published Version

642kB

Official URL: https://revistas.ufpr.br/made/article/view/57716/4...

DOI: 10.5380/dma.v52i0.57716

Abstract

A mudança no uso e ocupação da terra altera a dinâmica de ecossistemas e afeta a provisão de serviços ecossistêmicos, que são a base para a manutenção da vida e do bem-estar físico, mental e espiritual humano. Nesse contexto, o estabelecimento humano em países em desenvolvimento ocorreu, de modo geral, de forma desordenada e sem planejamento, ocasionando deterioração ambiental. No nordeste brasileiro, onde o recurso hídrico é escasso, as aglomerações humanas tendem a ocorrer próximas à rede hídrica, elevando a pressão antrópica sobre esse recurso. Este trabalho analisa as alterações na provisão de serviços ecossistêmicos na Microbacia Hidrográfica Riacho das Piabas, Paraíba, Brasil, associadas a mudanças do uso e ocupação da terra entre os anos de 1989, 2007 e 2014. Mudanças no uso e ocupação da terra foram identificadas e quantificadas por meio de técnicas de sensoriamento remoto e sistema de informação geográfica. Os serviços ecossistêmicos foram analisados por meio de média de valor monetário estimado de serviço ecossistêmico (VSE) disponível na literatura, utilizando o método de transferência de benefício. Em 1989, o valor total de serviço ecossistêmico foi estimado em US$ 7,18 milhões, reduzindo para US$ 3,73 milhões em 2007 e US$ 2,72 milhões em 2014. Houve aumento de 115% de área construída entre 1989 e 2014, resultando em redução de serviços ecossistêmicos de 62% entre os anos de 1989 e 2014. O declínio do VSE reflete o impacto negativo do processo de urbanização na manutenção de serviços ecossistêmicos, sobretudo os ofertados pela vegetação. A categoria vegetação arbórea foi a mais valiosa para a área de estudo, disponibilizando maior número de funções ecossistêmicas com alto VSE. Entretanto, foi a categoria que mais perdeu área ao longo dos anos. Portanto, é fundamental planejar, criar e manter áreas verdes para minorar os impactos do processo de urbanização na provisão de serviços ecossistêmicos.

Item Type:Article
ISSN:1518-952X
Uncontrolled Keywords:urbarnisation ; ecosystem services ; vegetation loss
Group:Faculty of Science & Technology
ID Code:33185
Deposited By: Unnamed user with email symplectic@symplectic
Deposited On:06 Jan 2020 15:19
Last Modified:20 Jan 2020 12:09

Downloads

Downloads per month over past year

More statistics for this item...
Repository Staff Only -